Mortes após anestesia em julgamento

A médica anestesista Maria de Jesus Lima e o ex-director clínico do hospital de Lagos, Fernão Pimenta de Castro, estão novamente a ser julgados no Tribunal de Lagos pelo homicídio, por negligência, de dois pacientes que morreram em resultado de anestesias, em 2004.

Albertina Estêvão, de 44 anos, morreu a 29 de Março: ia ser operada a uma fístula. Rui Gonçalves, de 35 anos, que ia ser operado a um quisto, morreu menos de 24 horas depois de Albertina. Os dois arguidos tinham sido absolvidos em primeira instância, em Julho de 2008, mas as famílias das vítimas recorreram e, em 2010, o Tribunal da Relação de Évora anulou a decisão, que confundia “juízos científicos com meras opiniões” e determinou a repetição do julgamento, com novas perícias. A próxima sessão está marcada para 3 de Outubro.

In:www.cmjornal.xl.pt

Hospital de Lagos