Renato Seabra condenado por homicídio

O português Renato Seabra foi condenado em Nova Iorque por homicídio em segundo grau, pelo assassínio confessado do cronista social Carlos Castro, em Janeiro de 2011, num hotel de luxo da ilha de Manhattan.

A decisão dos jurados foi comunicada ao Tribunal Superior de Manhattan nesta sexta-feira,  após mais de seis horas de deliberações, cabendo agora ao juiz ditar a sentença.

Renato Seabra assistiu à leitura do veredicto com o cabelo rapado, sentado junto aos seus advogados e vigiado por quatro policias.

Segundo a repórter do ‘New York Post’, presente na sala de audiências, o português não mostrou qualquer emoção, “mas começou a piscar os olhos muito depressa”, quando ouviu o veredicto, o que aconteceu cerca das 16h15 (21h15 em Lisboa).

De igual modo, a sua mãe, Odília Pereirinha, sentada na segunda fila da sala de audiências, não reagiu à condenação do filho.

O cronista social Carlos Castro foi morto e mutilado genitalmente no interior do quarto que partilhava com Renato Seabra, um aspirante a modelo com quem mantinha um relação amorosa e que convidara a passar o réveillon em Nova Iorque.

O crime ocorreu no Hotel Intercontinental, a poucos quarteirões de distância de Times Square, a praça mais conhecida de Nova Iorque.

A defesa de Renato Seabra tentou defender a tese de que a extrema violência do ataque, que envolveu a mutilação dos testículos de Carlos Castro com um saca-rolhas, numa altura em que o colaborador do CM ainda estava a respirar, era um sinal eveidente de que o acusado de homicídio sofrera um surto psicótico

In:www.cmjornal.xl.pt

Renato Seabra à entrada para o tribunal